Nkisi Nkondi (figura protectora)

Kongo, Angola
Séc. XIX, madeira, ferro, espelho, tecidos, pigmentos, etc.,
A. 64 cm.

Figura em postura real telama lwimbanganga, indicativa da sua capacidade de clarividência .

Esta postura nem sempre traduz agressividade, está também ligada à ordem e reequilíbrio social.

Embora seja o escultor que executa estes objectos, é o nganga (especialista do ritual) que providencia o “bilongo”. Ou seja, é ele que através das substâncias mágicas que coloca na figura (nomeadamente no receptáculo do ventre), lhe confere a força sobrenatural.

Para activar um nkisi ngaanga crava-lhe uma peça em metal de acordo com o pedido que lhe foi dirigido.

Nzambi (deus)

Chokwe, Angola

Séc. XIX, madeira, A. 27,5 cm

Figura encimada por uma ave protectora da natalidade. Objecto recolhido por Hermenegildo Capelo e Roberto Ivens durante a expedição a Angola entre 1878 e 1879.

Tabaqueira

Chokwé, Angola

Séc. XIX, madeira, 28 cm

Figura antropomórfica com chapéu chefal encimado pelo recipiente para o tabaco.

Encosto de cabeça

Tsonga, Moçambique

Séc. XIX, madeira, 28×27 cm

Usado como apoio de cabeça.

Máscara do Mapiko

Makonde, Moçambique

Madeira, pigmentos, Séc. XIX

Máscara elmo com representação das escarificações faciais e do disco labial característicos do grupo cultural. Utilizada pelos mascarados nas danças do Mapiko.

Bastões

Makonde, Moçambique

Séc. XIX, madeira, 48 cm (mulher), 58 cm (homem)

Dois bastões de chefia que representam um par mítico. Apresentam escarificações e mutilações dentárias características do grupo cultural.