Cabeça comemorativa do Oba (rei)

Reino do Benin, Nigéria

Séc. XIX, bronze [latão], 45×29 cm

Cabeça comemorativa ubunmwun-elao para ser colocada sobre o altar real dedicado aos antepassados. Fabricada pela técnica da cera perdida nela estão representadas a coroa de coral erhu ede e o grande colar odigba, também de coral, usada pelo Oba. O orifício existente no topo da cabeça serve para colocar uma presa de elefante, esculpida em baixo relevo, com temáticas reais.

Oferta de Max Shoeller (1899).

Nkisi Nkondi (figura protectora)

Kongo, Angola
Séc. XIX, madeira, ferro, espelho, tecidos, pigmentos, etc.,
A. 64 cm.

Figura em postura real telama lwimbanganga, indicativa da sua capacidade de clarividência .

Esta postura nem sempre traduz agressividade, está também ligada à ordem e reequilíbrio social.

Embora seja o escultor que executa estes objectos, é o nganga (especialista do ritual) que providencia o “bilongo”. Ou seja, é ele que através das substâncias mágicas que coloca na figura (nomeadamente no receptáculo do ventre), lhe confere a força sobrenatural.

Para activar um nkisi ngaanga crava-lhe uma peça em metal de acordo com o pedido que lhe foi dirigido.

Nzambi (deus)

Chokwe, Angola

Séc. XIX, madeira, A. 27,5 cm

Figura encimada por uma ave protectora da natalidade. Objecto recolhido por Hermenegildo Capelo e Roberto Ivens durante a expedição a Angola entre 1878 e 1879.

Máscara Kisokolo

Nkanu/Yaka, Angola

c. 1902, madeira, ráfia e pigmentos, 56×54 cm

Máscara utilizada durante os rituais de iniciação dos rapazes, Mukanda.

Tabaqueira

Chokwé, Angola

Séc. XIX, madeira, 28 cm

Figura antropomórfica com chapéu chefal encimado pelo recipiente para o tabaco.